Karma e Reencarnação

Nada acontece por acaso. Acreditar na reencarnação é acreditar nesse pressuposto. Na roda do chamado Karma, toda ação gera uma reação. Então tudo aquilo que pensarmos, sentirmos e fizermos terá um efeito em nossas vidas. A inteligência universal, que chamamos de Deus, age como uma Lei da Física, atuando de forma “automática” em todos os organismos vivos.

Karma não é algo negativo, mas apenas o resultado de uma ação anterior. É algo que acontece porque foi provocado anteriormente. Não é possível fugir de um karma, mas dá para vivê-lo com menos intensidade ou de uma forma diferente.

Assumindo Responsabilidade

Quando estamos vivendo uma situação ruim ou indesejada, toda a culpa recai sobre o karma. E vamos além: projetamos a culpa a Deus, aos Orixás, aos obsessores ou a qualquer outro ser humano. O que sempre é mais fácil do que olhar para trás e perceber quais passos nos levaram até onde estamos. Encontrar a origem de nossos problemas pode ser uma tarefa viável se ela aconteceu nessa mesma vida. Mas e se não achamos a causa? Se acreditamos ser “inocentes”, já que não podemos lembrar o que fizemos para “merecer tal castigo”? Aí Deus parece alguém muito vingativo e injusto.

Para aqueles que acreditam que voltamos ao plano material muitas vezes, a causa dos problemas atuais pode estar numa vida anterior. Erros cometidos no passado que precisam ser corrigidos em algum momento. Não como uma pena, mas como uma forma de iluminarmos a nossa própria sombra.

Mas quando tudo parece desmoronar, quando o peso parece maior do que podemos carregar e a raiva, a tristeza e a dor se tornam insuportáveis fica difícil lembrar que somos responsáveis por nossa realidade. Como muitos brincam: “a culpa é minha e coloco em quem eu quiser”, certo? NÃO.

Caminhando para a cura

Quando percebemos que erramos no passado, mesmo sem lembrar o que foi feito, a tendência natural é se culpar e sofrer. E assim como não adianta culpar os outros, não adianta nada se culpar. Saber o que foi feito pode ser importante, mas também pode abrir feridas profundas.

Enxergar o erro é uma oportunidade de aprender e fazer diferente. A culpa autoinfligida só atrasa o processo evolutivo. Já assumir a responsabilidade é outra história… Então o caminho é se comprometer a fazer melhor HOJE.

Eu assumo responsabilidade sobre minha vida e me comprometo a fazer o meu melhor hoje.

O primeiro passo para transformar nossa realidade é aceitar que a justiça divina é perfeita e, realmente, nada acontece por acaso. Cada semente plantada vai germinar algum dia. Se plantarmos mato, espinhos, ou abandonarmos nosso solo, não conseguiremos colher flores e frutas. E você está colhendo o que plantou.

Saindo do papel de vítima

Já quando o passado mostra que sofremos devido à ação de outros, a raiva e a revolta nos fazem regredir no processo de cura. Sim… muitas dificuldades vividas atualmente também podem ter origem em traumas muito profundos de outras encarnações. Uma pergunta costuma ser comum nesse momento: “Mas se eu já sofri por causa disso, por que estou sofrendo de novo?”. Porque ainda não perdoou, porque ainda não aprendeu o que precisava, porque não saiu do lugar da vítima, porque não seguiu adiante.

Quantas doenças refletem limitações emocionais e traumas passados. Se um câncer se manifesta numa criança, não podemos dizer que ela guarda mágoa do passado (desequilíbrio emocional normalmente associado ao câncer). Essa área frágil, com células que crescem de forma anormal e doente, mostra um processo de fragilidade kármico. Passar por essa doença pode ajudar esse espírito (jovem agora, mas que já viveu muitas vidas) a se fortalecer, a depurar algum vício, a curar relações pessoais ou até mesmo a pagar uma dívida. Mas uma dívida é só uma possibilidade. Um câncer pode ensinar TANTO para quem passa por ele, começando pelo perdão e pelo amor próprio.

Lógico que não é fácil ou leve passar por uma doença dessas. O aprendizado pela dor nunca é fácil. Mas uma lição que podemos levar é: a vida sempre tenta primeiro nos ensinar pelo amor. Sempre.

Então, se o passado já ficou para trás, perdoe e viva o hoje. Se foi vítima ou agressor, se ofendeu ou foi ofendido, já passou. Todos nós já vivemos muitas vidas e já erramos em algum momento. Mesmo nossos obsessores enxergam nossa evolução e percebem que também precisam seguir adiante quando notam que a mudança é verdadeira. Essa, a mudança verdadeira, opera milagres e nos leva em direção à cura plena.  

Não importa quem você foi, mas quem você é e quem você quer ser.